‘Fifa 13’ melhora na movimentação e física dos atletas, mas inova pouco


G1 testou a versão final do game que será vendida no Brasil em outubro.
Narração em português ajuda; recurso usa escalação real dos times.

Os fãs brasileiros dos games de futebol já podem jogar “Fifa 13”, que chega às lojas brasileiras no dia 4 de outubro e cuja versão digital já está disponível para download no PC e no PlayStation 3. O game custa R$ 70 no PC e R$ 180 nos consoles. (Assista ao lado o vídeo do game com narração em português)

G1 foi até o escritório da Electronic Arts em São Paulo para testar a versão final de “Fifa 13”. Veja o game no vídeo ao lado.

Na briga pelo posto de game de futebol mais popular da atualidade, “Fifa 13” sai na frente do concorrente “Pro Evolution Soccer 2013” ao apresentar um esquema de jogo, movimentação de atletas e visual superiores. No entanto, a versão deste ano perde para o rival pela falta de licenciamento de dez clubes brasileiros, deixando os torcedores destes times órfãos.Estas equipes genéricas, contudo, possuem a mesma escalação, formação tática e nomes reais dos atletas – o que falta mesmo é o nome do time, brasão e uniformes oficiais.

Narração inédita
O apresentador Tiago Leifert, ao lado do comentarista Caio Ribeiro, ambos da TV Globo, emprestam suas vozes para as partidas do game. Embora Leifert não seja um narrador de partidas de futebol, sua presença traz um ar de improviso ao narrar as partidas. Fica evidente que ele não narra uma partida de futebol e, sim, um game do gênero, como ele já tinha afirmado ao G1.

Ele brinca com os lances, fala sobre os atletas mais famosos e até provoca o jogador. Ao tomar uma goleada, ele solta: “Isso que você está vendo não é um replay, o time está saindo de novo com a bola no meio do campo”. (Assista ao lado vídeo com opinião do campeão sul-americano de ‘Fifa’)

O entrosamento entre ele e Caio Ribeiro é evidente, principalmente nas brincadeiras entre os dois. “Como é bonitinho este Caio Ribeiro”, diz Leifert após um comentário do ex-jogador. O comentarista faz o seu papel no game: relata lances da partida do mesmo modo que faz na TV.

Fifa 13 (Foto: Divulgação)
Messi, do Barcelona, é um dos melhores jogadores do game (Foto: Divulgação)

Embora seja um diferencial para o “Fifa 13” ter a narração em português, o que não aconteceu nas últimas edições, muitos podem não gostar do trabalho – o mesmo acontece com “Pro Evolution Soccer”, que tem narração de Silvio Luiz e comentários de Mauro Beting – e, por isso, as vozes podem ser desabilitadas.

Fifa 13 (Foto: Divulgação)
Jogadr pode escolher estação do ano e horário da
partida, o que muda na iluminação do estádio e no
uniforme dos atletas(Foto: Divulgação)

Esquema de jogo inteligente
Os games de futebol dependem de uma boa inteligência artificial do time para que a partida se desenvolva de modo similar ao que se observa na vida real. Em “Fifa 13”, os companheiros de time não ficam mais perdidos durante uma jogada. Eles parecem saber exatamente o que fazer quando o time está em um contra-ataque: seguem a jogada, tentam ficar livres e estar em uma posição para receber um passe. Nas versões anteriores, muitas vezes nestes momentos, não havia jogadores do time para receber a bola.

Na defesa o mesmo acontece com a equipe tentando fechar os espaços e impedir que o time adversário avance. Os goleiros estão mais inteligentes e raramente tomam gols “impossíveis”.

A nova física de “Fifa 13” faz com que os atletas pareçam ter carne e osso. É possível usar o corpo para proteger a bola e defensores grandes e pesados têm vantagem ao jogar o corpo contra atacantes franzinos.

A habilidade dos jogadores é levada mais em conta nas partidas. O domínio da bola depende de diversos fatores: velocidade da bola no momento do passe, rotação da bola no momento que ela toca no pé do jogador, se este atleta está marcado, qual a condição física dele na partida, se é destro ou canhoto…

Este recurso complica ainda mais em partidas entre um time fraco contra outro com jogadores com maior qualidade, já que é necessário um pouco de sorte para realizar um domínio preciso na cara do gol.

Fifa 13 (Foto: Divulgação)
Comemoração de Mario Balotelli está no game de futebol (Foto: Divulgação)

Poucas mudanças
“Fifa 13” traz poucas melhorias e mudanças no visual dos jogadores e dos estádios, o que não é ruim. A movimentação apresenta fluidez e parece próxima do real. Jogadores mais conhecidos apresentam seus trejeitos. Desse modo, Messi corre como nos jogos do Barcelona e da seleção argentina, Neymar corre e dribla – e cai – do mesmo modo como nas partidas do Santos.

Os menus totalmente em português auxiliam principalmente no modo Carreira. Há muitas informações apresentadas para tornar o time campeão e cuidar do clube que são facilmente compreendidas por quem não possui conhecimento do idioma inglês.

Fifa 13 (Foto: Divulgação)
Física do game foi totalmente refeita para ‘Fifa 13’
(Foto: Divulgação)

Mas uma das melhores adições em “Fifa 13” é o “Match Day”. O recurso presente desde partidas amistosas contra amigos e até em campeonatos é ativado com um botão e busca na internet informações sobre a perfomance do time e de seus jogadores durante a temporada e modifica a equipe, deixando-a próxima do real. O mesmo acontece com escalações.

Nos comentários, os goleadores da equipe serão apresentados, assim como os mais indisciplinados, e duelos marcantes dos últimos meses serão lembrados.

Durante amistosos, uma novidade é poder escolher a estação do ano e o horário da partida, que pode ocorrer desde o meio-dia até 10 da noite. A mudança afeta a iluminação no estádio e a vestimenta dos jogadores – no inverno, eles usam mangas compridas e luvas -, mas jogar no verão ao meio-dia não aumenta o desgaste dos atletas.

Antes do começo das partidas, é possível jogar minigames que ensinam a ter um controle melhor sobre o time e os atletas. Em um deles, é necessário chutar ao gol atingindo alvos nos quatro cantos. Em outro, é necessário chutar por cobertura. O jogador recebe pontos que são somados e o fazem aumentar de nível no game.

Preparando para a nova geração
“Fifa 13” não inova, mas consegue trazer quase tudo o que quem gosta de jogos de futebol queria. Ao G1, o produtor do game, Mathew Prior, disse que este não é o último jogo da franquia a aparecer para o PlayStation 3 e Xbox 360, mas a Electronic Arts já prepara o título para os novos consoles.

“Além de um visual mais detalhado, que é o que todos esperam, a inteligência artificial será o grande destaque da nova geração. Os jogadores pensarão na jogada e terão respostas melhores. Queremos melhorar o visual da torcida e a reação dela conforme a jogada, e acredito que a tecnologia permitirá isso”.

Fifa 13 (Foto: Divulgação)
Game é vendido para consoles no Brasil por R$ 180 (Foto: Divulgação)

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s