Há 30 anos, Steve Jobs previu o iPad e o futuro da computação pessoal


Ele previu a popularização da internet e dos PCs

Steve Jobs

Em 1983, uma pequena audiência na cidade de Aspen, nos Estados Unidos, ouviu uma apresentação de cerca de uma hora feita por um executivo de uma empresa que produzia computadores pessoais. O nome dele era Steve Jobs e, durante o seu discurso, ele conseguiu prever algumas das transformações que o mundo passaria ao longo das três décadas seguintes.

Marcel Brown, do blog Life, Liberty and Technology, obteve a gravação completa do discurso feito por Jobs e das respostas dadas por ele às perguntas da audiência. Quase 30 anos depois, o áudio mostra como Jobs tinha uma clara visão do que viria a se tornar o futuro da computação pessoal. Ele previu a popularização de uma rede de comunicação (a internet), o desenvolvimento do iPad e a criação da App Store, entre outras coisas.

Logo no começo do discurso, Jobs afirma que os computadores são tão rápidos que parece mágica – quando apresentou o iPad, ele definiu o tablet como “mágico”. Ele também diz que, dentro de poucos anos, as pessoas passariam mais tempo interagindo com PCs que com carros. Por mais óbvio que isso pareça hoje em dia, não era óbvio pensar nisso em 1983, quando os computadores eram caros e complicados para serem usados.

Jobs afirmou na época que os computadores se tornariam também uma nova forma de comunicação. Ele lembrou como os e-mails já se mostravam uma nova maneira de comunicação e que, dentro de alguns anos, existiriam computadores portáteis conectados a redes de rádio que permitiriam ler emails e qualquer momento – o que smartphones e tablets fazem hoje.

Uma declaração impressionante foi em relação à internet. As redes de comunicação já estavam sendo desenvolvidas, mas ainda tinham obstáculos pela frente. Jobs cravou que, em cinco anos, elas estariam nas empresas e, entre 10 e 15 anos, nos lares pelo mundo.

Voltando aos dispositivos móveis, Jobs disse que um dia a Apple seria capaz de criar um computador do tamanho de um livro que poderia ser carregado para qualquer lugar e levaria menos de 20 minutos para o usuário aprender a usá-lo. Esse aparelho teria a conexão via rádio para se comunicar com outros computadores com facilidade. A Apple precisou de 27 anos para criar o dispositivo, lançado com o nome de iPad.

Para finalizar, o co-fundador da Apple comparou a indústria de desenvolvimento de softwares que nascia na época com a indústria fonográfica. Ele disse que as pessoas não sabiam o que queriam em um computador, enquanto ao entrar em uma loja de discos elas sabiam exatamente o que iam comprar. Para Jobs, era necessário criar um equivalente às estações de rádio para os softwares. As rádios davam “amostras grátis” das músicas e, caso a pessoa gostasse, era só comprar o disco inteiro.

Ele sugeriu um modelo similar para softwares, com um período de teste antes da compra. Ele acreditava que a distribuição dos programas poderia ser feita por linhas telefônicas e o pagamento seria feito pelo cartão de crédito. O conceito é bastante parecido tanto ao da App Store quanto da iTunes Store, apesar de Jobs não demonstrar na época que pretendia um dia revolucionar a distribuição de músicas.

O discurso completo, assim como as respostas dadas às perguntas do público podem ser ouvidas, em inglês, no Life, Liberty and Technology.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s