Dica para começar o ano bem consigo mesmo


TREINO PARA DEFINIÇÃO

Se procura perder peso / gordura, o treino em superséries é um dos melhores para esse efeito, pois proporciona uma maior queima de calorias, podendo “gastar” até mais 300 calorias por treino do que outros métodos de treino de musculação mais clássicos.

O esquema de treino que se segue é meramente um exemplo de um programa de treino de musculação com superséries orientado para a perda de gordura / peso e consequente aumento da definição muscular.

TREINO PARA DEFINIÇÃO

Segunda-feira (Peitoral, costas, lombares, abdominais)

Supersérie de Supino declinado com halteres e Elevações de tronco em supinação
Supersérie de Supino declinado com halteres e Elevações de tronco em supinaçãoSupersérie de Supino inclinado com halteres e Puxada de dorsais em polia alta

superserie supino inclinado e puxada a frenteSupersérie de Peck Deck e Remada com barra

Supersérie de Peck Deck e Remada com barraSupersérie de Abdominal no chão e Super-homem

Supersérie de abdominal no chão e Super-homemQuarta-feira (Pernas, lombares, abdominais)

Supersérie de agachamento com barra e Bom diaSupersérie de agachamento com barra e Bom diaSupersérie de agachamento hack em máquina e Hip thrustSupersérie de agachamento hack em máquina e Hip thrustSupersérie de extensões de pernas e flexões de pernasSupersérie de extensões de pernas e flexões de pernasSupersérie de elevações de gémeos / panturrilhas em pé e elevações de gémeos sentadoSupersérie de elevações de gémeos / panturrilhas em pé e elevações de gémeos sentadoSupersérie de hiperextensões e Flexão do quadril suspenso em barra fixaSupersérie de hiperextensões e Flexão do quadril suspenso em barra fixaSexta-feira (Ombros e braços)

Supersérie de Press militar à frente com remada vertical na polia baixa
Supersérie de Press militar à frente com remada vertical na polia baixaSupersérie de Elevações frontais com barra e Elevações posteriores com halteresSupersérie de Elevações frontais com barra e Elevações posteriores com halteresSupersérie de Supino pega junta com Curl com barra

Supersérie de Supino pega junta com Curl com barraSupersérie de Extensões de tríceps deitado com Curl Spider com halteres

Supersérie de Extensões de tríceps deitado com Curl Spider com halteresSupersérie de Curl martelo com corda em polia baixa com Flexão dos punhos em supinação

Supersérie de Curl martelo com corda em polia baixa com Flexão dos punhos em supinaçãoConsiderações a ter em conta

Número de séries: Depende da sua capacidade de recuperação e / ou nível de forma física atual. Poderá realizar entre 2 a 4 séries por exercício.

Número de repetições: Entre 6 a 12 por série. Mesmo que pretenda perder peso, deverá continuar a treinar para força e hipertrofia, de forma a tentar manter a maior quantidade possível de massa muscular enquanto segue uma dieta de restrição calórica e perde gordura.

Treino cardiovascular: Uma vez que o seu objetivo será perder gordura, poderá querer realizar várias sessões de treino cardiovascular ao longo da semana, idealmente nos dias em que não faz musculação.

Seja como for, tente não realizar treino cardiovascular excessivo, pois poderá provocar uma diminuição exagerada da massa muscular enquanto perde peso. Na minha opinião, 30 a 40 minutos de cardio moderado 3 vezes por semana é o suficiente.

Este programa não tem em conta as suas particularidades individuais, mas pode ser seguido pela maioria da população que não tem lesões e se encontra numa forma física e num estado de saúde razoável.

Nota final: Existem bastantes possibilidades quando se trata de combinar exercícios em superséries. Este é apenas um exemplo, e com o tempo deverá procurar os exercícios que funcionam melhor para si.

Nokia solta atualização para smartphones no Brasil


 


Brasileiros que compraram smartphones da Nokia recentemente poderão atualizar o Windows Phone 8 para receber o pacote de melhorias Lumia Amber. As novidades estão disponíveis para Lumia 520, Lumia 620, Lumia 720, Lumia 820 e Lumia 920.

Uma das melhoras veio em relação ao processamento de imagem, graças aos algoritmos que diminuem os ruídos e mexem na reprodução de cor, no controle de exposição e no foco automático. O 920, por exemplo, ganha controles de configurações de ISO da câmera.

Uma das atualizações mais esperadas era a Tela Nokia Glance, que exibe um relógio digital, indicador de bateria e configurações de vibração ou toque na tela bloqueada. Isso só não estará disponível nos Lumia 520 e 625.

Um recurso do Symbian, o “virar para silenciar”, também veio para o Windows Phone. Com ele, você pode fazer o aparelho parar de tocar com um simples movimento, e um duplo toque na tela agora pode ser usado para desbloquear.

Descontando o Lumia 620, todos contarão com rádio FM, e há ferramentas para controlar melhor a memória dos celulares e a instalação de mapas no HERE.

Fora isso, existe agora o Smart Camera reunindo vários apps de câmera como o Foto Inteligente, o Cinemagrafia e o Estúdio Criativo, além de funcionalidades para edição rápida de imagens. Por último, o Pro Camera coloca opções avançadas nos modelos.

Os 11 melhores apps para iOS, segundo a Apple


Empresa divulga vencedores do prêmio anual de aplicativos, escolhidos pelo design, tecnologia e inovação

appstore

Apple anunciou os 11 vencedores do prêmio de melhores apps do ano. O ‘Apple Design Awards’ reconhece quais são os aplicativos que se destacaram pelo design, tecnologia e inovação. Confira!

WWF Together

O app para iPad permite que o usuário conheça os mais diferentes animais, como pandas, tigres, ursos polares, por meio de fotos, sons e curiosidades sobre os bichos. Segundo a Apple, o app usa muito bem os recursos do tablet, como multitoques e gestos.

Procreate

O app é um estúdio de arte completo nas pontas dos dedos e exclusivamente para o iPad. Existem os mais diversos pincéis, lápis, tintas e outras ferramentas digitais. Um dos pontos positivos é a facilidade para compartilhar as criações no Photoshop, Twitter, Facebook, Weibo, iTunes, email, fotos ou Dropbox.

Reprodução
  Um estúdio de arte na ponta dos dedos

Evernote

O app, disponível em 25 idiomas, funciona em todos os aparelhos da Apple e utiliza muito bem todas as principais tecnologias dos sistemas operacionais, como iCloud, Notificações, Lembretes, Acessibilidade e mais. Até mesmo a extensão para Safari foi bem desenvolvida.

Bandland

O game que pode ser jogado em modo single ou multi-player leva os gamers a uma atmosfera única de aventura no meio da floresta. Os jogadores descobrem armadilhas e ultrapassam obstáculos criativos e divertidos. O app está disponível para iPad e iPhone.

Reprodução
Ultrapasse obstáculos no meio da floresta

Coda 2

O aplicativo é um editor de códigos web inovador com centenas de recursos que ajudam o usuário a customizar qualquer site. O app traz atalhos inteligentes para facilitar a programação, além de plugins que melhoram o fluxo de trabalho. O Coda 2 só está disponível para Mac.

Finish

O aplicativo de gerenciamento de tarefas usa os recursos de gestos do iPhone muito bem, além de organizar as atividades em categorias inteligentes. Ele ainda se integra ao Facebook e Twitter para compartilhar tarefas com colegas da faculdade ou trabalho.

Letterpress

O jogo para formar palavras é simples, mas, segundo a Apple, viciante. É a mistura perfeita entre a diversão e a estratégia. Ele se destaca pela interface discreta e agradável de se brincar. O app está disponível para iPhone e iPad.

Reprodução
Forme palavras no app vencedor

Ridiculous Fishing

O game disponível para os dois dispositivos móveis da Apple entrega horas de entretenimento em uma interface retrô de videogame. O jogo de pesca se passa em um mundo infinito onde é possível fisgar torradeiras, motosserras, armas e mais.

Yahoo!Weather

O app para iPhone e iPad se destaca pelo design simples e bonito, além das informações detalhadas do clima. Ele exibe fotografias baseadas no horário do dia, localização e condições atuais de metereologia.

Reprodução
Fotos e condições climáticas no app

Sky Gamblers: Storm Raiders

O app para iPad, iPhone e Mac é um jogo que se passa na segunda guerra. Os gamers participam de combates para proteger as frotas de navios e atacar as bases inimigas. O aplicativo funciona no modo AirPlay e produz ótimas imagens na tela de retina do MacBook e iPad.

Mosaic.io

O aplicativo, desenvolvido por estudantes do MIT e da Universidade de Pittsburgh, une as imagens exibidas em dispositivos iOS como um mosaico de fotografias. O sistema inteligente do app consegue distinguir as proporções exatas das imagens para que elas apareçam de forma correta em cada um dos aparelhose, seja em um iPad, iPhone ou um MacBook.

Reprodução
Veja imagens dispostas em vários dispositivos 

Vale a pena manter um aparelho original de fábrica ou é melhor fazer root?


Um aparelho rooteado traz uma enorme gama de novas possibilidades. Em compensação, o processo dá trabalho e pode estragar o seu gadget. E aí, o que fazer?

Vale a pena manter um aparelho original de fábrica ou é melhor fazer root?

 

Possibilidades e desafios de se fazer root (Fonte da imagem: Reprodução/Google Play)

 

Desde que o Android surgiu e começou a se popularizar, as discussões sobre as suas qualidades e diferenças com relação ao iOS, da Apple, sempre fizeram parte do mundo da tecnologia. Comparações entre os dois concorrentes são praticamente inevitáveis, e qualquer site ou fórum de internet que tente tratar do assunto, vai acabar abordando esse assunto.

Como estamos falando do Android, vale lembrar que um dos argumentos mais utilizados pela galera do robozinho verde é o fato de que nele você encontra mais possibilidades de personalização do que em qualquer outro sistema operacional móvel. Aqui, você é capaz de instalar launchers, planos de fundo animados e trocar os pacotes de ícones, entre outras possibilidades.

E, para os entusiastas mais empolgados, todas essas alternativas não são suficientes. Há quem queira ainda mais, seja com relação à personalização da aparência do sistema ou para ter um controle ainda mais livre (e avançado) sobre as opções e ferramentas do SO. E é isso que o root para o Android permite.

Vale a pena manter um aparelho original de fábrica ou é melhor fazer root?Aparelhos rooteados podem ter melhor desempenho (Fonte da imagem: (Fonte da imagem: Reprodução/Psychokid))

Com um aparelho rooteado, você obtém o chamado “acesso privilegiado” a diversas novas opções dentro do Android. Assim, você é capaz de ativar ou desativar praticamente qualquer recurso do seu gadget – inclusive acessando diversas ferramentas bloqueadas pela própria fabricante do seu aparelho.

Assim, se quiser, você pode realizar overclock e aumentar o poder do gadget, instalar programas diferenciados ou trocar o sistema operacional por uma versão mais personalizada, por exemplo. É claro que há também muitos riscos a serem assumidos – e são essas vantagens e desvantagens que vamos mostrar nesse artigo. Confira.

Por que devo rootear?

Sistema atualizado

Uma das principais críticas aos aparelhos com o sistema da Google é o fato de que há uma enorme fragmentação entre as diversas versões do sistema operacional. Para citar um exemplo, segundo o último levantamento feito pelo site Android Developers, até o começo do último mês de maio, o Gingerbread (Android 2.3) ainda era o mais utilizado em todo o planeta, habitando 38,5% dos aparelhos.

Vale a pena manter um aparelho original de fábrica ou é melhor fazer root?Fragmentação ainda é um desafio (Fonte da imagem: Reprodução/Android Developers Blog)

Um dos motivos para isso é o fato de que muitas fabricantes acabam deliberadamente abandonando aparelhos considerados defasados e que foram lançados já há algum tempo. Com isso, os consumidores é que pagam o pato e ficam presos a versões antigas do sistema operacional.

Uma das saídas para isso é realizar o root e ir atrás de uma atualização “forçada”. Alguns desenvolvedores independentes conseguem portar versões do Android desenvolvidas para aparelhos com hardwares parecidos.

Assim, basta vasculhar a internet para achar algum trabalho do tipo – e não é difícil encontrar versões adaptadas do SO para a maioria dos aparelhos mais populares.  Dessa forma, o root no seu Android acaba tornando possível que você consiga passar por cima das limitações impostas pelo fabricante do seu gadget.

ROMs personalizadas

Assim como atualizações não oficiais do sistema operacional, com o root você consegue instalar, também, ROMs totalmente personalizadas para o Android. Essas versões alternativas do SO trazem funções adicionais e interfaces muito diferentes das comumente vistas nos tablets e smartphones.

Vale a pena manter um aparelho original de fábrica ou é melhor fazer root?ROMs cheias de novos recursos (Fonte da imagem: Reprodução/CyanogenMod)

A “distribuição” mais famosa é a CyanogenMod. Além de contar com versões para dezenas de aparelhos diferentes, essa ROM traz uma interface totalmente diferente (e personalizável), vários recursos adicionais para o Android e, de quebra, ainda pode melhorar a performance do seu gadget.

Além dela, basta vasculhar os fóruns especializados espalhados pela internet para encontrar diversas outras opções de ROMs para todos os tipos de aparelhos. São alternativas focadas em simplicidade, desempenho ou ferramentas experimentais que podem mudar totalmente a sua visão junto ao sistema operacional.

Programas exclusivos

A Google Play tem milhares de programas com finalidades para praticamente tudo o que você possa imaginar. Ferramentas, como exploradores de arquivos, sistemas de lembretes e organizadores, só para citar alguns exemplos, podem ser encontradas aos montes.

Vale a pena manter um aparelho original de fábrica ou é melhor fazer root?Adicionando recursos ao Android (Fonte da imagem: Reprodução/Google Play)

Contudo, muitas aplicações são um pouco mais restritas e só funcionam em aparelhos rooteados. Essa exigência é necessária porque alguns desses softwares precisam ter acesso a determinadas funções bloqueadas do sistema. Se isso é um impedimento para muitas pessoas, também pode ser uma grande vantagem.

Com mais liberdade de acesso ao Android, esses programas, em muitos casos, são bem mais poderosos que as versões “sem root” de aplicações semelhantes. Essas diferenças podem ser vistas nos launchers exclusivos e nos softwares para melhoria de desempenho.

Pimp my Rom, por exemplo, traz dezenas de opções de otimização para o aparelho, funcionando apenas em gadgets rooteados. Já para os que querem um backup mais completo e seguro, o Titanium Backup é, provavelmente, o programa mais consagrado nesse sentido.

Vale a pena manter um aparelho original de fábrica ou é melhor fazer root?

 

Titanium Backup é um dos programas mais famosos para aparelhos com root (Fonte da imagem: Reprodução/Google Play)

Além disso, com o aparelho rooteado, novos recursos podem ser disponibilizados para o seu Android. Programas para adicionar o controle de gestos ou que facilitem a utilização do seu smartphone, como um controle de video game, por exemplo, são algumas das opções.

Os mais corajosos podem deixar o aparelho com funcionamento mais personalizado. Programas para overclock e underclock estão disponíveis na Google Play, tudo para que você regule o potencial do gadget. Por meio da troca do kernel, você é capaz de reduzir o consumo de energia do seu Android, por exemplo.

Por que NÃO devo rootear?

Perda de garantia

Ao rootear o aparelho, você assume diversos riscos – e um deles é o de perder completamente a garantia do seu gadget. Há certa discussão sobre a validade de tal proibição por parte das fabricantes, contudo, é de conhecimento comum o fato de que realizar alterações no sistema original do Android acarreta em perda do benefício.

Vale a pena manter um aparelho original de fábrica ou é melhor fazer root?Você arrisca perder a garantia do seu S3? (Fonte da imagem: Divulgação/Samsung)

Não podemos tirar totalmente a razão das fabricantes. Acontece que esse tipo de mudança pode, realmente, acabar estragando o aparelho – e não é justo que a empresa pague por um erro que você tenha cometido.

Se pequenos problemas de sistema até podem ser reparados, caso você instale uma ROM que use um kernel com um overclock muito alto, por exemplo, o stress do processador pode vir a queimar o aparelho. Aí já não é mais um problema somente de software, mas também de hardware – e, veja só, foi causado por você.

Inclusive, vale lembrar que praticamente todas as ROMs disponíveis na internet contam com um aviso sempre em destaque: “Você pode queimar o seu Android se não fizer tudo com cuidado e não somos responsáveis por qualquer dano permanente em seu aparelho”.

Tem que ter muita vontade de estudar

Atualmente, existem centenas de aparelhos diferentes com o Android como sistema operacional. Como já dissemos acima, a maioria deles vem com personalizações específicas dos fabricantes, ou seja, nenhum Android é exatamente igual ao outro. Por exemplo, a Samsung aplica as suas mudanças, enquanto a Sony faz as suas personalizações, a HTC instala o seu launcher e assim por diante.

Vale a pena manter um aparelho original de fábrica ou é melhor fazer root?Muita paciência na hora de realizar pesquisas (Fonte da imagem: Reprodução/XDA-Developers)

Dessa forma, há, também, diversas maneiras diferentes de você rootear um gadget com o SO da Google. Se cada aparelho (e/ou fabricante) conta com um Android específico, muito provavelmente o procedimento também será diferente de um para o outro.

O resultado disso é que você precisará pesquisar muito até conseguir encontrar uma maneira definitiva de conseguir fazer o root em seu gadget. E se prepare para suar a camisa, pois a cada dia que passa os aparelhos se tornam mais complicados de serem desbloqueados.

Há algumas opções que aparecem como as ideais para quem não quer se estressar com isso. Determinados aplicativos (pagos, é claro) prometem rootear dezenas de gadgets diferentes em poucos cliques. Para isso, no entanto, você precisa botar a mão no bolso – isso sem ter a garantia de que o processo vai funcionar.

Meu celular virou um peso de papel…

Existe um termo muito famoso no mundo dos Androids rooteados: é o “brick”. A ideia vem do inglês, no qual a palavra tem um significado bem sugestivo: tijolo. Ou seja, se você vir alguém falando que “brickou” o tablet ou o celular, isso significa que o aparelho parou de funcionar e praticamente virou um peso de papel.

Isso acontece quando algum passo durante a instalação da ROM, na realização do root ou na inserção de algum novo recurso no Android não foi respeitado. Incompatibilidade do aparelho com o novo sistema inserido também pode fazer com que você fique assistindo a um loop infinito da tela de carregamento. Em muitos casos, o travamento acontece sem nenhuma explicação aparente – algo que pode fazer você querer arrancar os cabelos.

Vale a pena manter um aparelho original de fábrica ou é melhor fazer root?Morreu! (Fonte da imagem: Reprodução/OMG!Droid)

Na maioria dos casos, o “brick” tem solução. Isso, contudo, vai exigir muita dedicação e boa vontade na hora de ler e reler diversas páginas, postagens em fóruns e manuais de usuários avançados do seu aparelho. Dominar outras línguas, nesse caso, pode ser fundamental para que você encontre a solução para o seu problema.

Além disso, muitas vezes é necessário também que você instale uma versão “pura” do Android utilizado no seu gadget – aquela com a qual ele saiu de fábrica. Nesses casos, quase sempre é necessário que você diga adeus aos programas e configurações instalados no gadget.

Já tem o Jelly Bean? Então pense duas vezes…

Nem todo mundo que faz root no Android está em busca de grandes aventuras ou alterações significativas no aparelho. Às vezes a ideia é simplesmente eliminar algum programa da sua operadora ou definir determinadas configurações mais avançadas. A Google parece estar atenta a esses desejos, tanto é que adicionou diversas ferramentas desse tipo nas últimas atualizações do sistema operacional.

Vale a pena manter um aparelho original de fábrica ou é melhor fazer root?Sistema trouxe diversas novidades avançadas (Fonte da imagem: Reprodução/SitesGadget)

Assim, quem tem o Android 4.1 (Jelly Bean) – e até mesmo os que contam com o Ice Cream Sandwich (4.0.4) – já pode desfrutar de algumas configurações dentro dos próprios menus do sistema operacional. Por ali, você é capaz de forçar a GPU do gadget a trabalhar também com ferramentas em duas dimensões, por exemplo.

Muitos aparelhos também já apresentam opções para que você elimine (ou pelo menos bloqueie) determinados programas que venham pré-instalados – e que você não tem vontade nenhuma de utilizar. As notificações de alguns aplicativos também já podem ser desabilitadas nos menus do Android.

Quer uma foto da tela? Basta segurar os botões “Home” e “Power” e uma screenshot é instantaneamente tirada. Além disso, você é capaz de restringir programas quanto ao acesso à sua rede de dados, algo que pode ajudá-lo bastante no consumo de banda do seu gadget. Além desses exemplos, várias outras opções estão ali, prontas para serem exploradas, algo que pode render bem menos dores de cabeça do que a realização de um root no seu gadget.

…..

A verdade é que fazer root é um processo trabalhoso e arriscado; por isso, só vale a pena mesmo caso você queira realizar várias mudanças no seu gadget. E você, o que acha? Você tem vontade de fazer o root ou já tem um aparelho desbloqueado? Aproveite para compartilhar as suas experiências com a galera na seção de comentários!

 

Vista ainda é mais popular que Windows 8 no mundo


Dados mostram domínio do Windows 7 e permanência do XP no segundo lugar.

Vista ainda é mais popular que Windows 8 no mundo

 

(Fonte da imagem: Net Applications)

 

O monitoramento de tráfego online não é capaz de mostrar apenas a penetração de navegadores no mercado, mas também as porcentagens relacionadas ao uso de sistemas operacionais. E os dados oriundos de mais de 40 mil sites ao redor do mundo revelaram que, apesar de o Windows 8 estar crescendo, ele ainda está bem atrás de seus irmãos mais velhos.

No mês de maio, o mais novo sistema operacional da Microsoft foi registrado em 4,27% das máquinas ao redor do mundo. Um número que o deixa bem para trás do Windows 7, que continua crescendo e agora é o SO mais utilizado da internet, com 44,85% de seus usuários e crescimento contínuo desde janeiro de 2013.

O Windows XP, apesar de estar em queda, permanece em um segundo lugar com larga vantagem, estando presente nos computadores de 37,74% das pessoas. O Vista aparece em um distante terceiro lugar, com 4,51%, seguido de perto pelo Windows 8.

Os sistemas operacionais da Apple aparecem no final da lista, com diversas atualizações de sua versão 10. O Linux também está no final, com 1,2% dos internautas.

 

As semelhanças e diferenças entre PS4 e Xbox One


Comparamos os recursos dos videogames apresentados até agora

PlayStation e Xbox

Microsoft apresentou nesta terça-feira, 21, parte de seu novo console: o XboxOne. Assim como a Sony, a companhia optou por não apresentar seu novo videogame em uma tacada só, guardando alguns mistérios para E3, conferência anual de jogos eletrônicos, que acontece em Los Angeles, EUA.

Ambos os videogames, que representam as disputas da próxima geração de consoles, são semelhantes em muitos aspectos, com um ou outro recurso diferente. Vamos compará-los:

Especificações
Ambos têm 8 GB de RAM, processadores de oito núcleos e trabalham com mídia Blu-Ray.

Xbox usa um único sistema de chip (SoC) com 40 nanômetros, combinando GPU, CPU, memória em único lugar. A empresa não especificou quem produzirá o processador, mas sabe-se que a empresa trabalhará com a arquitetura x86, deixando de lado a PowerPC.

Já a Sony foi mais específica na apresentação do PlayStation, mostrando seu processador AMD “Jaguar”. A empresa agora aposta na arquitetura x86, deixando de lado a Cell. A GPU terá 1,84 teraflops de capacidade e também será produzida pela AMD.

Streaming e compartilhamento
Ambos os videogames têm recursos para você realizar streaming de suas partidas e compartilhar os vídeos com seus amigos.

No entanto, enquanto a Microsoft passou rapidamente pelo assunto, a Sony chegou a apresentar o botão Share, presente no próximo controle, que foi desenhado exatamente para isso. Além disso ela também terá parceria com a Ustream, que funcionará para o streaming de jogos.

Integração social
Ambas as companhias também prometeram mais recursos sociais para você interagir com outros jogadores. A Microsoft explicou que uma das grandes vantagens da rede Live ficará por conta dos mais de 300 mil servidores espalhados ao redor do mundo.

No entanto, para fazer uma comparação justa de qual videogame será mais rico em recursos sociais, teremos que esperar mais detalhes e, principalmente, ver o que funcionará no Brasil.

Downloads
PlayStation 4 permitirá aos jogadores começarem o jogo antes mesmo de o download terminar. O recurso é muito bacana e foi bem aceito na coletiva, no entanto, foi deixado de lado pela concorrente Microsoft.

Controle
Microsoft também não mostrou muitas novidades sobre o controle, apenas revelou seu design, que agora conta com uma visível mudança nos direcionais digitais, uma das grandes críticas que os jogadores do 360 tinham com o console. Além disso, o joystick não funcionará mais com pilhas, e sim com bateria integrada.

Já o controle do PS4, que já funcionava sem pilhas, sofreu grandes alterações de design. Além do botão Share, a principal novidade fica por conta do touchpad em sua parte frontal.

Kinect vs PlayStation Eye
Um dos grandes trunfos do Xbox continua exclusivo ao videogame. O sensor de movimentos foi aprimorado e agora reconhece mais movimentos e registra vídeos em 1080p. O campo de visão do sensor também está 60% maior. O mais bacana é que, com a integração do Xbox à TV, o Kinect passa a ser seu controle remoto.

Já o PlayStation tem o Eye Camera, que também conta com sensores e câmeras para reconhecer os movimentos dos jogadores com o PS Move ou com o novo controle da plataforma. Ele não parece ser tão rico e complexo quanto o Kinect, mas pode ser útil para momentos que for necessário reconhecer movimentos.

Integração com TV
Microsoft insistiu bastante nessa área em sua apresentação. O videogame contará com integração à televisão, permitindo você assistir programas pelo próprio videogame. O mais bacana é que você pode alternar rapidamente entre a TV, videogame e outros aplicativos, como o do Internet Explorer – tudo usando o Kinect.

PlayStation não tem nada disso.

Músico cria versão 8-bit de disco do Daft Punk e faz sucesso na web


Joe Jeremiah mixou músicas do álbum ‘Random Access Memories’.
Músicas do duo francês em ‘chiptune’ parecem de videogame; assista.

 

Músico cria versões 8-bit de músicas de novo álbum do Daft Punk (Foto: Divulgação/Joe Jeremiah)

 

Músico cria versões 8-bit de músicas de novo álbum
do Daft Punk (Foto: Divulgação/Joe Jeremiah)

O músico Joe Jeremiah tem diversos vídeos no site YouTube fazendo versões de músicas de games e de outros artistas como se fossem tocadas em videogames da geração 8-bit – como o Master System e o Nintendo Entertainment System (NES)  -, mas o mais recente trabalho do jovem faz sucesso na web.

Ele gravou com os sons dos videogames antigos, estilo chamado de “chiptune”, uma versão com as músicas do novo disco da dupla Daft Punk, “Random Access Memories”. O músico criou uma canção de quase cinco minutos unindo todas as 13 músicas do álbum.

As músicas eletrônicas do duo francês, principalmente ao serem tocadas com um sintetizador de games 8-bit, combinam com o estilo dos consoles da década de 1980.