Análise: Motorola Razr D1 é bom para quem busca smartphone barato


Aparelho de R$ 400 tem recursos simples, mas compensa pelo custo-benefício

Razr D1

Kaluan Bernardo

Motorola lançou em março dois smartphones exclusivos para o Brasil: Razr D1 e RazrD3. Ambos contam com boas sacadas pensadas para o gosto do brasileiro de acordo com as características regionais do mercado.

O D1 é o modelo mais fraco, com preço aproximado de R$ 400. Confira nossa análise:

Características físicas

No geral, a ‘cara’ do Razr D1 é bem semelhante ao seu irmão mais potente, oRazr D3. É apenas um pouco menor e 10 gramas mais leve. Ambos são feitos em peça única sem bateria removível.

O smartphone tem tela de LCD com 3,5 polegadas com a fraquinha resolução de ou 480×320 pixels. O equilíbrio de cores é eficiente e ajuda a disfarçar a baixa resolução.

Ele pesa 110 gramas e mede aproximadamente 1 centímetro de espessura,  12 centímetros de altura e quase 6 centímetros de largura. Para se ter noção ele é pouco mais alto e mais largo do que o iPhone 4.

Os acabamentos externos não são dos mais bonitos e não passam segurança. As bordas são feitas de plástico e contam com entrada para os dois chips e outra para um cartão SD. Já a parte traseira, também feita com plástico tem um grafismo que passa mais sensação de segurança, além de aderência – impedindo seu celular de sair andando pela mesa quando ele vibrar.

Sistema Operacional

Razr D1 vem equipado com o Android 4.1.2 Jelly Bean e a Motorola garante que já está preparado para ser atualizado com a próxima versão do sistema operacional.

O aparelho conta com integração aos serviços do Google, como o Google Now, além da barra de busca logo na tela inicial e aplicativos nativos, como o YouTube, Maps, Drive, Gmail Gtalk e Google+.

Apesar de não ser o ‘Android puro’ (saiba do que se trata), o sistema não oferece muitas ‘firulas’ dispensáveis, presentes em outras versões do SO. O D1 tem apenas os serviços básicos e úteis, como GPS, Notícias, Rádio FM e Agenda.

A tela de inicialização também é bem bacana e conta com três círculos: um com a previsão do tempo, outro com horário e mais um com informações sobre a bateria.

Especificações

Um dos grandes atrativos do Razr D1 é, sem dúvida, o fato de ele ter suporte a dois chips, característica considerada essencial para muitos brasileiros que aproveitam os diferentes descontos de operadoras.

Outra característica bacana é a TV Digital. Com uma antena simples e desengonçada, o aparelho recebe sinais de televisão, sempre com bastante eficiência.

O som do alto falante é satisfatório, permitindo assistir a TV ou ouvir música sem fones de ouvido, desde que você não esteja em um ambiente com muitos ruídos.

O aparelho conta com 1 GB de memória RAM e processador simples de 1 GHz. É pouco, mas, pelo preço, é válido. Ele consegue trabalhar com os principais aplicativos sem travar, mas você realmente não pode exigir muito.

A bateria de 1785 mAh é legal. Ela dura menos do que a de outros modelos mais potentes da linha Razr, mas ainda tem um bom desempenho se comparado a aparelhos na mesma faixa de preço.

A memória interna é fraquinha: 4 GB, na prática, apenas 2,3 GB livres. Isso se resolve com o bom e velho cartão SD, aceito pelo smartphone.

Câmera

Há apenas uma câmera traseira de 5 MP, com a qual é possível filmar vídeos a 30 quadros por segundo. Ela vem com com o recurso Back Side Illumination (conhecido como BSI), que melhora a qualidade dos pixels em situações de baixa luminosidade. Além disso, tem High Dynamic Range (chamado de HDR), que melhora a qualidade da imagem ao juntar uma sequência de fotos em uma única figura.

O aparelho não tem Flash, recurso que faz muita falta. Por fim, as lentes possuem foco automático, que funciona de forma bastante competente.

Conclusão

Não dá para esperar muito do Razr D1, mas isso também não seria justo, afinal, ele custa R$ 400, um dos preços mais baixos entre smartphones. Ele é suficiente para fazer as tarefas básicas de um celular inteligente e ainda funciona com 2 chips e tem TV digital.

Flash, câmera um pouco melhor e processador dual-core fazem falta. Mesmo assim, é um bom aparelho para quem não quer gastar muito. No entanto, se você quer um aparelho que pretende usar por mais de um ano sem que ele esteja muito ultrapassado, talvez seja aconselhável juntar um pouco mais de dinheiro e investir no irmão Razr D3.

Google corta pagamento de desenvolvedores argentinos


Aplicativos pagos serão removidos da Play Store a partir do dia 27 de junho

google play argentina

Google enviou uma mensagem aos desenvolvedores argentinos na última sexta-feira, 24, avisando que não poderia mais pagá-los a partir do dia 27 de junho. A partir dessa data, desenvolvedores registrados no Google Play só poderão oferecer aplicativos gratuitos e os apps pagos deverão ser removidos da Play Store — caso contrário, o próprioGoogle se encarrega de retirá-los. Aplicativos do tipo freemium, com conteúdo interno à venda, também sofrerão as mesmas consequências.

Segundo o e-mail da empresa, divulgado pelo site Celularis, o último pagamento será realizado até o dia 22 de julho. O Google ainda sugere aos desenvolvedores que, se possível, transfiram sua conta com os aplicativos a outro país, para poderem receber pelo Google Wallet.

Na sua página de suporte, a empresa explica que o que motivou a mudança foram dificuldades em realizar os pagamentos aos desenvolvedores do país, sujeito a regulamentações restritas quanto a operações cambiais.

Galaxy S4: é bom mesmo?


Essa semana consegui o tão esperado Galaxy S4, quando postei a foto no instagram choveu de comentários do tipo: “Ele é bom?”, “Comprou aqui?”, “Ele esquenta mesmo?”, “Melhor que o iPhone 5?”. Responderei essas perguntas nesse post, menos a ultima que já estou escrevendo uma comparação.

A caixa dele é simples, parece que é feita de material reciclado mas mesmo assim não deixa de ser bonita, ao abrir continua simples e facil. O Smartphone vem com um papel na tela escrito: Full HD SUPER AMOLED, Android Technology, Bluetooth (SMARTH READY), NFC. Ao ligar, ele exibe um step-by-step para você configurar a base do aparelho, nesse step-by-step ele pede coisas do tipo: Nome, data de nascimento, email, criar conta Samsung, foto, conta Google, entre outras.
No primeiro dia achei ele realmente muito rápido, mas quando eu fui instalando coisas ele foi ficando bem mais lento.
 Rastros na tela e superaquecimento (ele fica quente mas não tão quente como dizem)

Alto consumo de bateria, Octa-core não funciona muito bem, o S4 de 16 GB na verdade tem 8 de espaço livre e a câmera é muito ruim em ambientes de baixa luz.

Principais Prós e Contras:

Prós: Tela com ótima definição, segurança muito boa (em quesitos de desbloquear o smarthphone), grande integração com o Google, a melhor câmera que já vi, literalmente o melhor smartphone que roda 4G (no Brasil)
Contras: Muito frágil, suja fácil, batería dura muito pouco, esquenta e não é o que promete ser (as funções Exibição suspensa, Gesto suspenso, Modo de direção, Smart Say e Smart scroll não funcionam tão bem como eu esperava).
Eai? Vale a pena comprar? Deixe sua opinião nos comentários
Postado por Tiago Amorim às 12:47 

No Brasil o S4 chegará nessa sexta (10/05) e em muitos países que já chegaram os consumidores viram ue o Galaxy S4 está apresentando muitos problemas, confira:

1 – Superaquecimento
Em alguns países o novo Galaxy apresenta processador de 8 núcleos, mas os primeiros consumidores relataram que ao abrir aplicações pesadas o aparelho pode chegar até 50 ºC
O modelo parece aquecer mais conforme as atividades exigem mais do aparelho. Um comprador verificou que seu celular ligado em modo de espera variava em torno de 27 ºC. Ao verificar email e navegar na internet, a temperatura subiu para 35 ºC. Quando ligou jogos, que utilizam um maior processamento gráfico, o smartphone chegou a 40 ºC.

2 – Consumo de bateria
Muitos usuários estão reclamando que o nível de carga do celular caiu de 93% para 25% em, aproximadamente, quatro horas. Para evitar esse tipo de problema, é aconselhável fazer ajustes no GPS, Bluetooth e brilho de tela, pois são os recursos que consomem mais energia.
3 – Rastros na tela
A grande mania da Samsung, usar elementos que não foram totalmente testados para dar poder ao seu Smartphone. Rastros na tela acontecem quando a tela é de muito poder, acontecendo também com a tela OLED do PsVita.
Em telas com fundo preto, é possível notar que ícones e imagens deixam um rastro de cor roxa quando movimentados na tela. No vídeo acima, podemos perceber também a falha na barra “connect and share”, que perde linhas e cor quando arrastada para cima e para baixo. Há ainda relatos de aparelhos que mostram uma linha vertical pixelizada no canto direito da tela, também sem explicação.

4 – Octa-core não é lá essas coisas…

Um dos grandes atrativos do novo modelo de smartphone da Samsung se referia ao seu potente processador octa-core. Porém, o especialista em núcleo de sistema AndreiLux preparou uma apresentação para mostrar por que o arranjo de octa-core da Samsung é o pior possível. O octa-core é na verdade uma combinação de processadores quad-core A15 e A7. Confira abaixo como a Samsung anuncia a capacidade de processamento dos seus chips Exynos 5 Octa.
5 – S4 de 16 GB tem metade do espaço ocupado por dados do sistema
Esse para mim é o pior, o que adianta você comprar um Galaxy de 16 GB se só poderá usar 8? Então a Samsung respondeu, tentando dar desculpas… Ela respondeu dizendo que os 6,85 GB ocupados com arquivos o sistem providenciam uma experiência de maior qualidade ao consumidor. Além disso, o novo modelo apresenta memória expansível para mais 64 GB através de cartões microSD.

6 – A câmera é ruim em ambientes de baixa luz

Um dos elementos que beneficiam o Nokia lumia 920, tanto como o 820 é a sensibilidade de luz da câmera. Já com o S4 não acontece isso, apesar dos 13 megapixels do S4 o novo Galaxy tem apresentado dificuldade nesse quesito. Abaixo a comparação com o Nokia lumia 920
A câmera do Galaxy S4 não consegue focar automaticamente em baixa luz e tem dificuldade de registrar o ambiente propriamente. Por outro lado, os recursos extras da função de câmera da Samsung aprimoram bastante a experiência de fotografar com o aparelho, sem falar que, em ambientes iluminados, as fotos do Galaxy S4 são mais nítidas e brilhantes do que as dos concorrentes.

Conheça as especificações do Xperia i1


Dispositivo fruto de muitos rumores deve vir acompanhado por uma câmera fotográfica com um sensor poderoso

 

Conheça as especificações do Xperia i1 (Fonte da imagem: Reprodução/Geeky Gadgets)

Embora rumores recentes indiquem que a Sony está trabalhando em um novo smartphone conhecido como Honami, o produto deve ficar conhecido por um nome diferente nas lojas: Xperia i1. Equipado com o sistema operacional Android, o dispositivo deve contar com um display de 5 polegadas equipado com a tecnologia Triluminous.

Informações vazadas por funcionários da empresa indicam que a novidade deve contar com um processador quad-core Qualcomm Snapdragon 800 de 2,3 GHz, algo condizente com a estratégia que a organização adotou de só investir em aparelhos poderosos. Para completar, a novidade deve vir acompanhada por 2 GB de memória RAM, forma de assegurar um bom desempenho multitarefa.

Especificações do aparelho

  • Processador Snapdragon 800 de 2,3 GHz;
  • 2 GB de memória RAM;
  • Display de 5 polegadas com resolução 1920×1080 pixels;
  • Sensor fotográfico de 16 ou 20 megapixels (valor ainda indefinido);
  • Bateria de 2.700 mAh.

Ao que tudo indica, o grande destaque do aparelho vai ser a sua câmera fotográfica, que pode contar com um sensor de até 20 megapixels. Além disso, a novidade pode já vir acompanhada pela versão 4.3 do Android, cuja data de lançamento ainda não foi anunciada oficialmente pela Google.

Compare o iPad mini com os principais concorrentes no mercado


Apple apresentou nesta terça-feira (23) iPad menor de 7,9 polegadas.
Tablet concorrerá com o Kindle Fire, da Amazon, e o Nexus 7, do Google.

A Apple apresentou nesta terça-feira (23) o iPad mini, com tela de 7,9 polegadas. A versão menor do tablet chegará aos Estados Unidos no dia 2 de novembro por a partir de US$ 329. Com o iPad mini, a Apple entra em um novo segmento em que concorrerá diretamente com o Kindle Fire, da Amazon, e o Nexus 7, do Google, que têm telas menores e são vendidos por preços bem inferiores ao iPad tradicional, de US$ 500 – os concorrentes saem por US$ 200.

Compare o iPad mini com os principais concorrentes no mercado (Foto: Arte/G1)

 

Malwares para Android triplicam em um ano


Número de vírus passou de 10,8 milhões em 2011 para 32,8 milhões em 2012

Android

A NQ, empresa de antivírus móvel, descobriu que o número de malwares paraAndroid passou de 10,8 milhões em 2011 para 32,8 milhões em 2012. Isso significa que o número total de vírus para a plataforma do Google triplicou em um ano.

A companhia ainda revelou que quase 95% dos malwares detectados em 2012 foram projetados especificamente para Android. O sistema operacional da gigante de buscas é de longe o primeiro alvo dos criminosos virtuais.

A empresa alerta, no entanto, que a maioria dos vírus para Android é direcionada para usuários da China, Índia e Rússia. Além disso, os internautas podem evitar vírus ao fazer downlods de apps apenas de fontes conhecidas.

As informações são da BGR.

Google Glass será enviado a desenvolvedores em maio


Serão as primeiras edições, ainda em fase de teste, a deixarem o Google

Google Glass

Os primeiros modelos doGoogle Glass finalmente vão sair das mãos do Google para chegar aos desenvolvedores. Segundo oTechCrunch, aqueles que fizeram a pré-compra da “Explorer Edition”, como é chamada a versão de testes do aparelho, deverão recebê-la em algum momento do próximo mês.

Ainda não foi especificado um dia para que o Glass seja liberado para os desenvolvedores, mas o prazo faz sentido, já que entre os dias 15 e 17 de maio acontece o Google I/O, a conferência anual do Google, focada nos desenvolvedores.

Espera-se que aqueles que fizeram a pré-compra já no Google I/O sejam os primeiros a receber o headset.

Já aqueles que ganharam o concurso “If I Had a Glass”, realizada no mês passado ainda não tem previsão de quando poderão retirar o óculos. Sabe-se apenas que será ainda em 2013, segundo o regulamento.